+55 (21) 3486-3469

Inteligência artificial no marketing digital: Isso já é possível?

27 de junho de 2019
Designlab

Saiba como a inteligência artificial tem sido usada no marketing digital

A inteligência artificial anda evoluindo bastante! Por isso, já é possível integra-la em muitas atividades do nosso dia a dia.

Além disso, por suas incríveis possibilidades, ela tem recebido atenção de diversas indústrias, incluindo a de marketing.

Aliás, a inteligência artificial e marketing já estão caminhando lado a lado.

Mas como essa parceria funciona? O que ainda está por vir?

Agora vai ficar mais fácil ainda entender que inteligência artificial é uma boa adição à sua estratégia de marketing.

Por isso, vamos te mostrar exemplos práticos de como isso já tem sido feito:

Adivinhar o comportamento do consumidor

Já é possível rastrear praticamente todos os passos de um consumidor pela rede, o que permite uma marca mapear seu comportamento e prever suas próximas ações.

Além disso, essas informações podem ser usadas para criar mecanismos que se encaixem exatamente nesse tipo de comportamento e aumentem as chances de conversão.

Automação do atendimento

Já ouviu falar dos chatbots do Facebook, que ajudam a automatizar o atendimento ao público?

Essa é apenas uma das ferramentas de automação do atendimento que estão sendo exploradas por meio da inteligência artificial, mas já nos dá uma boa noção de como isso funciona.

O mercado está cada vez mais competitivo e buscando atendimento instantâneo, por isso, automatizar parece ser uma solução viável.

Automação do gerenciamento

Estar monitorando diversas redes ao mesmo tempo, usando cada uma de acordo com seus próprios costumes e “regras” pode ser um verdadeiro desafio.

Por isso, já existem aplicativos, como o Instagresss, que vão muito além do já conhecido agendamento de postagens: comentam e curtem publicações, seguem e deixam de seguir outros!

Recomendações personalizadas

As pessoas amam receber recomendações de qualidade e consumir conteúdo personalizado para suas necessidades e desejos.

Isso é possível apenas por meio de uma curadoria detalhada.

Por conta de tantos algoritmos de análise que já existem, essa curadoria pode ser feita inteiramente por um sistema.

Um exemplo claro é o sistema de recomendações da Netflix, que usa os dados de consumo dos usuários como base para indicar novos programas e apresentar seu catálogo.

Mecanismos de busca

Os mecanismos de busca também estão investindo pesado no uso de inteligência artificial a fim de criar experiências de busca mais completas e precisas para os usuários.

A última atualização de algoritmo do Google, por exemplo, se chama RankBrain e é baseada em IA para determinar as intenções de busca das pessoas.

Visto que aprende sozinho, sem a ajuda de humanos, o sistema consegue refinar as buscas e encontrar resultados mais exatos em bem menos tempo, sem necessidade de trabalho humano.

Precificação de produtos

Errar na hora de precificar pode significar uma perda grande de lucros!

E isso pode afetar diretamente o desempenho de um negócio ao longo do tempo.

Felizmente, há ferramentas que ajudam a definir os preços de forma automática, comparando esses vários fatores entre si para determinar dinamicamente qual o melhor preço de cada um.

Reconhecimento de fala

Se você já usou assistentes virtuais como Siri e Cortana ou ferramentas como o tradutor por reconhecimento de voz do Skype, ou pesquisou o nome de uma música pelo Shazam, já sabe que essa tecnologia é real.

Esses sistemas conseguem captar exatamente o que você diz!

Após isso, traduzem a mensagem rapidamente para outro idioma ou atender o pedido que você fez no Smartphone.

Reconhecimento de linguagem

Além do reconhecimento de fala, existe o reconhecimento de linguagem, que vai ainda um pouco além.

Se trata de uma tecnologia que entende não apenas o que você diz, mas também o que você quer saber.

Se mesmo os humanos às vezes encontram desafios em entender o que outros querem dizer, é bem impressionante que uma máquina consiga perceber isso.