Marketing digital: Facebook e Instagram como lojas e-commerces

+55 (21) 98121-5300

Marketing digital: Facebook e Instagram como lojas e-commerces

17 de dezembro de 2020
Designlab

Como lojas e-commerces de redes sociais influenciam no Marketing Digital!

Empresas dispensam o espaço físico e sites próprios para negociar apenas via redes sociais. E isso pode ajudar e muito no marketing digital da sua marca!

O Facebook e o Instagram não param de crescer e já são 90 milhões de páginas comerciais no Facebook e 25 milhões no Instagram.

E não é novidade que cada vez mais lojas e prestadores de serviços têm “existido” apenas nas redes sociais.

Afinal, 73% das pessoas acessam o Instagram porque a rede permite a interação com as marcas.

O mesmo levantamento mostrou que a partir da rede social, 42% das pessoas compraram online e 24% compraram offline

(ou seja, visitaram o perfil da marca no aplicativo e foram até a loja).

Segundo o executivo do Facebook, a interação direta com os clientes, a praticidade de criar um perfil e fazer postagem e a economia para gerir o negócio por meio desses perfis são alguns dos pontos que explicam o aumento de empresas que vendem apenas pelas redes sociais.

Site próprio x Redes sociais:

A criação de um e-commerce próprio (ou seja, uma loja online com seus produtos e formas de pagamento)

além de demandar tempo, ainda fará você gastar muito dinheiro.

Além disso, existem diferentes formas de fazer!

Se sua opção é criar um site com design e nome personalizado, ele pode gastar quantias que superam R$ 10 mil

(e, acredite, podem chegar a um valor muito maior).

Por falar em custo de criação, ainda é preciso arcar com os custos de uma mensalidade para manter um site no ar.

Isso sem contar os gastos com as formas de pagamento que você terá que contratar

(serviços como PagSeguro e Mercado Pago, por exemplo, que geram boletos e permitem o pagamento em cartão e cobram uma taxa para cada item vendido).

Mas para quem quer gastar menos, hoje existem sites que criam e-commerces mais simples e menos personalizados e cobram apenas uma mensalidade por isso.

Alguns têm custo a partir de R$ 9,90. Nesse caso, porém, o número de produtos anunciados é limitado e o cliente ainda precisa arcar com as taxas cobradas pelas empresas de pagamento.

Vantagens:

Outro fator importante que pode colocar as redes sociais à frente dos sites é que um e-commerce precisa ser anunciado para que o público chegue até ele.

Já nas redes sociais, os perfis interagem com possíveis compradores de forma gratuita.

Além disso, existe a possibilidade de “impulsionar” o perfil da loja com anúncios dentro da própria rede social.

Tanto no Facebook como no Instagram, o usuário que possui uma página comercial pode comprar propagandas a partir de R$ 1. Sobretudo, esse valor muda de acordo com algumas variáveis.

O usuário escolhe, por exemplo, quem ele quer atingir com aquele anúncio (sexo, faixa etária, região e etc).

Além de qual o objetivo da propaganda (como atrair curtidas na página, comentários, mais mensagens ou até cliques para o site da companhia).

E, assim o preço daquela campanha vai mudando.

O Instagram foca em conteúdo!

O Instagram “escondeu” as curtidas das fotos dos usuários.

Se antes todos viam quantos “likes” aquela imagem havia recebido, agora só o dono do perfil pode ver.

A mudança foi explicada pelo Facebook (dono da rede social)

como uma forma de “acabar com a competição e fazer com que os perfis se concentrassem mais nas histórias”.

A mudança, no entanto, não deve impactar tanto os perfis comerciais!

Isso acontece porque o que manda dentro do Instagram é o conteúdo, a consistência daquela empresa como marca e o quanto ela se relaciona com a audiência.

Ademais, o principal atrativo da rede é justamente a forma de interação que ela oferece.

Afinal, são exibidos perfis que tenham a ver com aquele usuário, baseado no tipo de página e foto que ele curte e segue.

Fazendo o seu negócio acontecer:

Como o próprio Instagram sugeriu com a mudança dos likes, a ideia é que os usuários invistam mais em conteúdo!

Ou seja, mostrar ao cliente e seguidor mais do que uma foto bonita.

E é justamente esse comportamento que faz um perfil comercial bombar nas redes.

O legal disso tudo é focar em ferramentas que antes não eram tão usadas, como por exemplo os “stories”

(pequenos vídeos ou fotos que desaparecem depois de 24 horas)

para anunciar promoções e tentar interagir com os clientes por meio de enquetes, perguntas e etc.

Não podemos esquecer que o Instagram é uma plataforma visual! Por isso, é importante oferecer fotos, cores e fontes interessantes para atrair e prender a atenção dos clientes.

Outra sugestão que pode ser usada no Instagram é a ferramenta de “Melhores Amigos”, que permite ao perfil criar uma lista de pessoas “VIPS”.

Além de lançamentos de produtos, também use essa lista VIP para comunicar promoções exclusivas, assim você cria o desejo de outros usuários também participarem da sua seleção de melhores amigos.

Treinamentos e novas ferramentas:

As próprias redes sociais estão se mobilizando para criar ferramentas e oferecer treinamentos para perfis comerciais.

Uma boa estratégia criada pelo Facebook é o “Impulsione com o Facebook”, um programa de desenvolvimento gratuito.

Esse programa permite o acesso a uma plataforma online com conteúdo preparado por especialistas em marketing digital, também percorre as principais capitais brasileiras, por meio de eventos, oferecendo cursos, palestras e encontros para a promoção de networking.

Essas ferramentas do Facebook, que englobam Facebook, WhatsApp Business, Messenger e Instagram, ajudam os empreendedores a acessar novos mercados, expandindo seus negócios.